pessoal | Sumiço de verão


Sinto-me envergonhada por ter escrito o último post em Junho e, desde então, nunca mais cá ter posto os pés. Mas desta vez não é a desculpa da treta de "Ah e tal, não tenho tido ideias de posts", porque a verdade é que, desde que comecei no novo trabalho, não tenho tido grande tempo livre - uuhh, que adulta.

O normal seria trabalhar apenas 8h/dia, mas tenho feito mais que isso. Umas vezes porque ainda estou a adaptar-me à nova rotina, outras vezes porque há muito que fazer e não gosto de deixar trabalho a meio. Mas não me posso queixar: trabalhar nesta empresa era mesmo o que eu queria, e todas as semanas têm valido a pena!

Várias coisas mudaram desde que comecei a trabalhar lá: durante a semana não consigo fazer muito mais que trabalhar, fazer o jantar, tomar banho e dormir e, ao fim-de-semana não apetece ficar em casa a escrever para o blog quando lá fora o tempo está tão convidativo, certo? A juntar a isso, o meu PC está mais lento que nunca, e ultimamente até tenho desistido de o ligar.

Espero que lá para o Outono a minha vida desacelere um bocado e eu consiga voltar a publicar aqui, porque tenho sentido falta. Até lá, aproveitem o verão ao máximo! :D

compras | Praia 2016, estou pronta!


Quem me acompanha sabe que não sou especialmente fã de praia. Há várias coisas na praia que me irritam e basta-me estender na areia por 3 ou 4 dias e fico satisfeita até ao ano seguinte! 

Por essa razão nunca tive uma colecção invejável de bikinis ou fatos de banho, apenas 1 ou 2 para ir alternando. Mas este ano, tal como aconteceu com o meu guarda-roupa, decidi que estava na hora de renovar! Na gaveta tinha este bikini da H&M e estes da Mo, ou seja, todos cai-cai, e eu queria experimentar uma parte de cima com armação, sobretudo pelo pelo conforto e segurança.

Estava disposta a dar um pouco mais de dinheiro por um bikini de que realmente gostasse, me favorecesse e tivesse qualidade suficiente para aguentar mais de 2 anos. Mas, depois de experimentar algumas partes de cima na Calzedonia que custavam 30€ e 40€, percebi que estava louca! 20€ seria o meu limite.

Passei por outras lojas do género e foi a oferta da Women'secret que mais me agradou em termos de cores e padrões. Quando entrei, houve uma parte de cima que me chamou a atenção, mas ignorei-a por achar a demasiado vistosa. Depois de experimentar alguns modelitos e esgotar as possibilidades, decidi levá-la para os provadores... e não é que adorei?! Percebi de imediato que era aquela, apesar dos 20€ marcados na etiqueta me amargarem um pouco (mesmo estando com 30% de desconto, porque o preço inicial era 26,99€!).

parte de cima do bikini da Women'secret

Não valia a pena pensar mais, até porque já era tarde e eu ainda não tinha jantado. Dirigi-me à caixa e lembrei-me que, como tenho o cartão da loja e o meu aniversário tinha sido há exactamente um mês, talvez houvesse um descontinho à minha espera. Havia sim, e trouxe para casa esta peça por 14€ em vez dos 20€! Não podia ter feito melhor negócio.

A juntar à parte de baixo da Mo e aos protectores solares Ambre Solaire que comprei há umas semanas em promoção no Continente, estou oficialmente pronta para o verão de 2016 e entusiasmada - quem diria?!


Adoro esta peça, e mal posso esperar para a usar na praia! Além de gostar de me ver com ela, percebi que não é exageradamente vistosa como achei ao início, é colorida o suficiente para combinar com várias cores na parte da baixo, aperta atrás de forma confortável e tem um detalhe entrançado que lhe confere um toque diferente. 

Por este ano estou satisfeita! Talvez ainda compre mais uma parte de baixo, mas suspeito que não sentirei falta dada a quantidade de vezes que prevejo ir à praia...

E vocês, já têm o vosso bikini ideal? :)

beleza | Paixão nova vs amor antigo


Já se sabe: quando não estamos à procura, encontramos.

Hoje entrei numa perfumaria para comprar o meu corrector de olheiras preferido (o deste post) e, no momento de pagar, decidi que queria cheirar alguns perfumes - prometi a mim própria que este ano comprava o meu perfume, fosse ele qual fosse, porque ainda não o descobri. Ou talvez sim?

"Amadeirado/oriental, para usar no dia-a-dia", foram estas as orientações que dei à funcionária. O resto estava ao critério dela, já que conheço pouco e não tenho preferência por nenhuma marca em especial. Ela deu-me a cheirar Givenchi, Versace, YSL, Diesel, 212, Burberry e, no final, foram estes dois que me conquistaram:

O YSL Black Opium Nuit Blanche foi uma descoberta completamente nova e confesso que não o adorei à primeira: achei-o forte e muito "adulto". Mas ela convenceu-me a vir para casa com ele no pulso e, agora que está mais suave, não paro de o cheirar!

Já o Burberry The Beat... foi inevitável sorrir quando o cheirei! Foi o meu perfume preferido durante uma fase fase muito boa da minha vida (olhem para ele aqui, já quase vazio). Sentir novamente o seu cheiro foi mágico e comovente - é parvo mas é verdade! ahahah

Agora estou novamente num dilema: rendo-me à paixão nova ou ao amor antigo? Se formos por preços, o Burberry é bem mais barato (numa diferença de sensivelmente 30€!), mas sei que não é um perfume que perdura, e o que fica a restar dele na pele são notas cítricas. Por outro lado, sinto que o YSL combina melhor com a Sara actual e, de facto, é um Perfume com letra grande!

O que me têm a dizer?
Já agora, podem indicar-me sites que vendam perfumes de marca a um preço mais baixo? Eu tenho o Fragrance Direct guardado nos meus favorito há imenso tempo, mas nunca lá encomendei nada...

decor | O nosso quarto

No anterior post de decoração disse que em breve vos mostrava melhor o nosso quarto... e aqui está o combinado! Infelizmente não tenho fotografias do antes para comparação, mas acredito que isso não diminui a vossa curiosidade :)
Tal como se observa na nossa sala e na nossa cozinha, também o quarto tem uma parede colorida que define o ambiente do espaço. Neste caso optámos pelo lilás/violeta, uma cor relaxante e algo mística - falei disso neste post de wishlist. Tenho de concordar que é também uma cor feminina mas, estranhamente, o Zé não se opôs! Os elementos decorativos do quarto foram inspirados nessa cor, e combinados com os móveis brancos.

Não tinha noção mas, de facto, o nosso quarto está repleto de pequenos trabalhos manuais que tenho feito ao longo dos últimos 3 anos! Ainda assim esta é a divisão menos decorada da casa, sobretudo nas paredes, porque ainda estou à procura de quadros grandes e relacionados com a decoração para pendurar na parede branca das cómodas e talvez também na parede lilás. Já estive a trabalhar numa alternativa temporária relacionada com molduras, mas não sei se ficará bem...

Como também devem ter reparado, todos os móveis do nosso quarto, tirando a cama, são do Ikea! Não que isto seja um motivo de orgulho, porque toda a gente tem iguais, mas são baratos, cumprem a sua função e gostamos do seu aspecto minimalista. Esta última característica é importante sobretudo quando se trata de um quarto pequeno que não queremos que pareça confuso!

O roupeiro PAX foi pensando e planeado ao milímetro, para caber no quarto e responder às nossas necessidades, sem rebentar com o orçamento. Também é do Ikea  - surpresa! - e optámos por esta solução:

Como se pode ver, eu fiquei com o módulo de canto e o outro ao lado, de 1m de largura - é pouco, muito pouco, mas cá me vou orientando. O Zé ficou com o módulo maior e até lhe sobra espaço - grrr! Maior que isto era impossível, ou a porta do quarto não abria! ahahah
Se estão curiosas em relação aos restantes elementos do quarto, aqui fica uma lista da origem:
  • Capa de edredon - La Redoute
  • Candeeiros de mesa - Ikea 
  • Candeeiro de tecto - (loja do chinês local)
  • Tapetes - (loja local de tapetes)
  • Cortinados (adaptados) - Aki
  • Cadeira - Espaço Casa
  • Vela e prato na cómoda - Espaço Casa
  • Caixa cor-de-rosa na cómoda - (artesanal, presente)
  • Jarra - (quermesse de uma festa local)
  • Almofada - Primark
  • Sommier - (loja local de móveis)

Estejam à vontade para perguntar ou sugerir alguma coisa! :)

look | Uma saia comprida para uma primavera instável


Estas últimas semanas têm sido um impasse: ora as temperaturas sobem e parece que finalmente está aí o tempo de primavera, ora baixam e temos de voltar à roupa e calçado de inverno. Eu, que já só penso em peças mais frescas e nas sandálias da Tapadas que ainda não estreei, começo a aborrecer-me e tenho procurado um meio-termo!

Inspirada no estilo mais adulto de que vos falei neste post, foi assim que me vesti para um almoço de aniversário no passado domingo. Com um pé na primavera, mas sem grandes à vontades, optando por uma saia comprida, sapatos fechados (porque não sabia se não voltaria a chover do nada), uma blusa leve e acessórios a chamar a primavera :)
blusa - Sfera (apresentei-a neste post); brincos - C&A (?); colar - Bijou Brigitte; relógio - Swatch;
saia - Laura Clement (La Redoute); sapatos - Zara; carteira - artesanal (presente de aniversário)

O que acham? Fui bem sucedida? :)

Esta saia, que também usei no verão passado, é uma das minhas peças preferidas para este tempo instável: é leve e fluída, protege as pernas de um vento mais fresco, mas ao mesmo tempo não se torna quente. Tenho outra semelhante da Springfield que vos mostrei neste post, mas gosto mais desta da Laura Clement pelo material e cor, por ser elegante e por ter bolsos (dão sempre jeito, certo?). O número foi o certo e nem tive de fazer a bainha!

Foi mais uma boa compra na La Redoute, à semelhança das que poderão fazer até ao final do dia de hoje, já que todo o site está com 50% de desconto + oferta de portes! Eu já aproveitei para encomendar mais algumas peças, às quais planeio dar muito uso nos próximos meses! :)

Se ficaram interessadas nesta saia, saibam que ela ainda se encontra online e está também abrangida pela campanha. Cliquem para saberem mais!

pessoal | Uma mudança iminente e uma sorte relativa


Passamos a vida a ouvir dizer que as melhores coisas da vida acontecem de repente e, à medida que os anos passam [se não formos demasiado distraídos], podemos comprovar isso mesmo! Recentemente foi engolida por este cliché na minha vida profissional, que resultou em algo que queria muito e já há algum tempo, e foi inevitável parar para reflectir no que aconteceu.

O entusiasmo é tanto que não resisti a partilhar a minha reflexão com vocês aqui no blog! Para fazer mais sentido, e para mais tarde recordar, vou começar a contar desde o início...


● Um trabalho que estive prestes a recusar


Foi em 2014, a um ano de acabar a minha licenciatura, que a Link to Media me ofereceu um trabalho como copywriter no site 'umComo' - lembram-se de ter falado nisso aqui? Na altura eu estava a trabalhar em part-time numa Worten e a fazer o projecto da licenciatura, não tinha muito tempo nem energia, mas decidi aceitar e tentar conciliar tudo (spoiler: o esforço valeu a pena)

Depressa percebi que trabalhar em Marketing Digital era algo com que me identificava, que fazia naturalmente e sem grande dificuldade, que me dava gozo, e imaginava-me a fazê-lo naquela empresa durante vários anos! 

No ano seguinte o meu chefe sugeriu que, com ele, eu ficasse encarregue do lançamento e gestão do projecto TudoReceitas. Fiquei agradecida e insegura, não sabia se estava à altura dessa responsabilidade mas, mais uma vez, escolhi arriscar e dar o meu melhor. Durante os meses que se seguiram aprendi bastante, cresci a vários níveis, superei desafios, superei-me a mim mesma, tive alegrias e frustrações... MAS começou a crescer em mim um sentimento contraditório ao que estava a viver.


● O momento em que percebi que tinha de mudar


Comecei por sentir uma certa insatisfação, que inicialmente confundi com aborrecimento. Tirei férias para espairecer e renovar os ânimos, mas não resultou. Cheguei à conclusão que o problema não seria eu, mas sim o trabalho que, ainda que estivesse a dar frutos, baseava-se em tarefas repetitivas, semana após semana. Senti-me estagnada profissionalmente e, como não sou de conformismos, percebi que estava na hora de procurar um trabalho numa outra empresa, que me apresentasse novos desafios e aprendizagens. 

Mesmo sabendo que as ofertas escasseiam, comecei a enviar currículos - grande parte deles espontâneos - para outras empresas da área e no distrito de Leiria. Tal como tantos outros que tentam, esperei e desesperei por respostas e entrevistas que não apareceram. Passei vários meses nisto, mas não podia desistir mesmo que a minha situação profissional não fosse necessariamente má.

Entre as empresas que eram uma possibilidade, havia uma que eu tinha sempre em mente mas que achava ser inalcançável, pela sua dimensão. No entanto era nela que eu gostava de trabalhar e, certo dia, tendo esgotado as opções, arrisquei enviar uma candidatura. A rejeição ou o desprezo iam doer mais que o de todas as outras empresas juntas, mas valia a pena tentar.


● A oportunidade que estava à minha espera


Pouco depois de ter enviado o currículo, chamaram-me para a entrevista, fui e ficou definido o dia em que eu iria começar. Aconteceu assim, num piscar de olhos, o que eu andava a sonhar há meses e não tinha tido coragem de fazer! Era como se estivessem à minha espera, ou como se eu tivesse aparecido no timmig certo. Interpretei isto como mais uma chapada de luva branca da vida, a mostrar que as coisas acontecem quando tem de ser, e que de nada vale de nada agourar e desesperar.

Se eu fui apanhada de surpresa, o meu chefe ainda mais. Não foi fácil digerir esta minha decisão aparentemente espontânea de sair da empresa, sem nada que o fizesse prever. Mas os ânimos acalmaram e saí a bem na semana passada, já um pouco nostálgica, depois de me ter assegurado que o TudoReceitas ficava bem entregue. *pausa para assimilar tudo mais uma vez*


● Uma questão de sorte?

Quando contei a novidade a uma amiga, ela disse que eu tive sorte, e fiquei a pensar nisso. Terá sido sorte? O que é a sorte? 

Quem acredita na sorte, acredita no acaso e nas coincidências, e eu acredito que [quase] tudo acontece por uma razão. Por isso eu não tive "sorte" de conseguir este trabalho. Pela facilidade e rapidez com que as coisas aconteceram, presumo que eles precisavam de alguém como eu, e eu apareci na hora certa. Este novo trabalho não caiu do céu, eu fiz acontecer: arrisquei e, para minha surpresa, consegui!

Sei que posso parecer presunçosa ao dizer isso mas, no mercado de trabalho, ou acreditas em ti e nas tuas capacidades, ou ninguém o fará. Nas outras áreas da minha vida sou mais relaxada, mas aqui há competitividade e sei que tenho de me esforçar o dobro, se quiser manter-me e/ou evoluir.

Por isso rejo-me por algumas máximas que tento ter sempre presentes e que, até agora, têm funcionado para mim. Espreitem abaixo quais são e tentem colocá-las em prática também, acredito que irão funcionar igualmente bem convosco! :)

– Máximas para conseguir o que se quer –

1 - Não se acomodem: por muito que a vossa situação 'até não seja má', acreditem que pode ser melhor se tiverem a coragem de mudar!
2 - Arrisquem: não vou falar aqui dos constrangimentos implicados no facto de ter enviado a candidatura para aquela empresa em específico, e ainda mais de ter sido contratada, mas quem não arrisca não petisca;
3 - Saiam da zona de conforto: porque nos lugares comuns não se aprende nada de novo, e isso é sinónimo de estagnação (o que ninguém deve querer para a sua vida, seja em que âmbito for);
4 - Acreditem: sobretudo quando se trata de trabalho, acho essencial desenvolver pensamentos positivos, sobretudo ao nível de 'eu posso' e 'eu consigo', porque ajuda a atrair coisas boas!
5 - Sejam persistentes: eu enviei candidaturas ao longo de vários meses (se bem que não com a mesma frequência como se estivesse desempregada) e, quando parecia já não haver opções, a oportunidade surgiu! por isso não desistam, a oportunidade está algures no futuro à vossa espera;
6 - Aceitem (não confundir com 'conformem-se'): a vida às vezes faz um desvio para chegar onde queremos, mas tudo tem uma razão de ser e um tempo para acontecer;
7 - Não fiquem obcecada/os: quando queremos algo com muita força e já só pensamos nisso, por vezes o efeito é o contrário e a mudança não acontece. Há que encontrar um equilíbrio entre a persistência e a aceitação, e interiorizar que um dia há-de acontecer, mas provavelmente não quando nos "dá jeito". 

Que as mudanças que desejam na vossa vida vos aconteçam em breve também! 

moda | It's about time to look like an adult


Neste momento, se alguém me assaltasse
a casa e roubasse toda a minha roupa de verão,
era um favor que me fazia. A sério! 


Na semana passada, quando tirei essas peças do saco de vácuo onde passaram todo o inverno, só me apeteceu atirá-las pela janela. Se há um ano estava satisfeita com o que tinha, agora olho para elas e não me identifico com nada, parece roupa de adolescente! É certo que estou a ser influenciada por ~ uma certa mudança que se aproxima ~ e quero ser levada a sério, vestindo-me de forma mais adulta e profissional, mas não me senti eu quando vesti aquela que era a minha t-shirt preferida no verão passado, e isso é frustrante!

Sim, algumas de vocês vão achar que estou a exagerar, mas a roupa é a nossa segunda pele e, se eu não me sentir bem com o que visto, não me sinto bem comigo mesma. Desde então tenho andado nesta ansiedade de saber que os dias estão a ficar mais quentes, que a data da mudança está a aproximar-se, e que não tenho nada de jeito para vestir! Vou-me safando com as peças menos detestáveis, mas não resisti a ir ao shopping mais próximo comprar umas calças que já tinha em mente, e espreitar as lojas online.

Assim é como me imagino a vestir nos próximos meses:
imagens: Pinterest
Looks cosmopolitas, com cores sóbrias, sem jeans, com blusas femininas, não necessariamente com saltos-altos, com algumas saias plissadas e vestidos à mistura, etc. [introduzir uma celebridade, personagem ou blogger como exemplo]

Como sempre, voltei a espreitar a La Redoute - vocês sabem que eu tenho mais paciência para lojas online do que para lojas físicas, e confio nesta por já ter encomendado dezenas de vezes. A oferta de verão é tentadora e, apesar da tendência actual não ser bem aquilo que estou à procura, encontrei várias peças que gostaria de ver no meu roupeiro. As que vos mostro abaixo são as que adicionei à minha wishlist de verão:


E porque é que estou a falar-vos nisto agora? 
Porque a La Redoute está com 50% de desconto
em toda a coleção Primavera/Verão até 31 de Maio
+ oferta de portes de envio!

Isto é excelente porque, se tal como eu estão habituadas a fazer compras nesta loja, sabem que alguns artigos geralmente não podem ser comprados com código de desconto. Os 50% já estão incluídos, é só adicionar ao carrinho e formalizar a compra (caso não esteja, o código de desconto é 5988).

Eu já tratei de encomendar algumas das minhas peças preferidas, mal posso esperar para as experimentar! :D